O melhor grito de carnaval da cidade

galeria de fotos

 

Foi uma noite inesquecível. Pelo segundo ano consecutivo, o Miscelânea Odeon trouxe para a Cinelândia, um dos carnavais mais momescos de toda a cidade com muita música, poesia, samba, cinema, confetes e serpentinas. E o evento ainda contou com a presença de um enorme público, para lá de animado.

Para entrar no clima de festa, o cinema todo foi "fantasiado" com motivos carnavalescos, produzidos pela cenógrafa Susana Lacevitz,. O público também foi devidamente caracterizado com fantasias criadas e confeccionadas na hora. E, em plena praça, foram colocados monitores de vídeo exibindo filmes raros de carnaval, especialmente selecionados pela videomaker Raquel Couto.

Com tudo pronto, começa a festa. O Miscelânea teve seu início um pouco depois das 19h. Ainda estava claro quando a Banda do Cordão da Bola Preta invadiu a praça com suas marchinhas de carnaval. Logo, uma multidão se formou na porta do cinema. Jovens, adultos, idosos e crianças foram conferir de perto uma das mais tradicionais bandas do Rio.

Em seguida, foi a vez da Charanga 3D. O bloco atraiu olhares curiosos por seu som diferente, que faz batucada com música eletrônica. No comando da parafernália eletrônica, que usa pedais de efeitos e distorção e até um moog, o músico Kassim, um dos fundadores do bloco, criado em 1997. Numa espécie de "abre-alas", a Charanga levou o público folião para dentro do cinema onde muito mais estava para acontecer.

Dentro da sala, no comando da festa, estava o poeta Chacal recitando poemas de Manuel Bandeira e entoando marchinhas de carnaval. Junto com ele, Verônica Diaz. O palco do Odeon foi aberto com o som do Arranco de Varsóvia, que apresentou, com sua nova formação, clássicos do samba. Em seguida, foram exibidos no telão trechos do documentário Folia Geral, de Luiz Fernando Carvalho sobre o carnaval de Pernambuco, com depoimentos de Antônio Nóbrega e Ariano Suassuna e um vídeo de Stephan Hess sobre fotos de carnaval de Rogério Reis.

Enquanto isso do lado de fora, acontecia uma concorrida roda de samba com o grupo Folha Seca que esbaldou os foliões em plena Cinelândia. Em seguida, foi a vez do Bangalafumenga colocar todo mundo para sambar dentro do cinema com sua percussão forte e suas batidas quebradas. A banda aproveitou o evento para mostrar seu primeiro CD e comemorar cinco anos de existência. O cinema Odeon BR teve então a sua sessão mais lotada de todos os tempos, com as cadeiras ocupadas e os corredores tomados pelos foliões dançando. Ninguém conseguiu ficar parado.

E quem entrou andando, saiu sambando. O Bangalafumenga levou o público de volta à praça e tocou com a percussão no meio do público. Para dar um colorido a mais na festa, a presença dos coloridíssimos palhaços e pernas-de-pau do Gigantes da Lira. A Charanga 3D também voltou a se apresentar. E, fechando a noite, um bis dos veteranos da Banda do Cordão da Bola Preta que não deixou ninguém parar de dançar com suas marchinhas de carnaval.

O Miscelânea de Carnaval é um evento gratuito, que tem o patrocínio da Petrobras Distribuidora. Com suas duas memoráveis edições, o evento já é um clássico, considerado por muitos, sem a menor sombra de dúvida, o melhor grito de carnaval da cidade!

(Dominique Valansi)